Não sou uma perfeccionista. Acho que ser perfeccionista não leva a gente a nenhum lugar. Pois o medo de errar faz com que você não produza. Perfeccionistas, geralmente, não tiram muitas ideias do papel. O medo de não ter o projeto perfeito assusta e isso pode limitar muito qualquer pessoa.

Mas confesso que a frase: antes feito que perfeito sempre me incomodou. E essa é uma opinião pessoal, combinado?

Te conto porque. Antes feito que perfeito me traz uma sensação de que “está tudo bem ser feito de qualquer jeito”, e preciso te lembrar que é responsabilidade nossa tudo que colocamos no mundo. Não acho que tudo precise ser perfeito, mas é preciso cuidado, respeito com o seu trabalho e com quem vai receber o que você entrega.

Já parou pra pensar que o “simplesmente feito” não vai longe? Olha só:

Você começa a ler um livro de um autor e acha o texto ok. Não tem nada de novo, você não se empolga, mas conclui a leitura porque detesta começar e não finalizar um livro. Mas vai voltar a ler outros títulos desse autor? Acho difícil. O livro não é ruim, ele é só ok. Não despertou nada em você.

Você vai num restaurante e a decoração é ok, a comida é ok, mas não tem nada de novo, nada que faça você pensar: que delícia, que incrível, que gostoso, que diferente, que inovador! Esse restaurante vai ficar na sua memória? Talvez, mas como um restaurante legalzinho. E não como um restaurante extraordinário, aquele que você vai no seu aniversário ou em uma ocasião especial.

Você vai comprar um colar e acha vários, experimenta alguns que até combinam com suas roupas, são bonitinhos, parecem bem feitos. Mas não teve nenhum que você falou: caraca, que lindo! Você pode até levar um ou outro, mas eles são ok, para o dia a dia… Não são aqueles acessórios que te fazem se sentir poderosa.

Você está procurando referências na internet de fotógrafos especializados em comida. Acha um que parece legalzinho. Vê o site dele e é ok, as fotos ok, tá tudo ok, mas não é aquele cara que você pensa: que phoda esse trabalho, hein?

Enfim…

O acessório não era feio, longe disso. O restaurante não era ruim, o livro até era bom. O fotógrafo pode até ter um trabalho mais profundo. Mas, no fim: é tudo ok! É tudo mais ou menos. E pra mim, esse é o “feito”. Porque o bem feito, geralmente, causa um fator: Uau! Causa uma coisa diferente em nós. Pense naquele restaurante que você nunca esqueceu, o livro mais legal que você leu, aquele curso que te surpreendeu, o acessório incrível que você achou. São coisas que ficam na mente. E, pra mim, sim, estão conectados com algo além de FEITO… Eles são bem feitos, bem pensados!

Não permita nada mais ou menos ou ok na sua vida. E não quero que isso te impeça de realizar o que você acredita, mas faça bem feito. Pense: dei o melhor de mim nisso? Então, ótimo! Tô colocando no mundo algo feito com carinho de verdade, com empenho? Então, ótimo! Pensei na comida desse restaurante com afeto e nos detalhes? Então, ótimo! Tá organizando o material daquele curso que você quer dar e, realmente, tá se esforçando pra entregar um conteúdo bacana? Então, ótimo. Fazer bem feito é estar realmente conectado, envolvido e presente com o que você coloca no mundo.

É assim que levamos tudo aqui. O layout do site tá só ok? Vamos repensar. O conteúdo tá mais ou menos? Vamos estudar mais e refazer.

Tudo que você faz precisa ser bem feito porque essa é a imagem que você causa, que você cria, que você constrói. Você é uma marca, você é seu negócio, você é seu melhor case. Ou seja: perfeito não, mas bem feito sempre.

Quer receber um material bacana e que realmente te ajude na geração de conteúdo nas redes sociais?

Cadastre seu e-mail {e óh, fica tranquilo, a gente só manda o que gostaria de receber também. Respeitamos o seu espaço}.