conteúdo autêntico Karina Francis

Trabalhar com conteúdo foi a forma que encontrei para colocar em prática uma habilidade que, pra mim, é algo natural. Me formei em jornalismo, busquei diversas especializações na minha área, trabalhei em diferentes veículos e, desde 2010, trabalho intensamente com produção de conteúdo e posicionamento digital.

Pra mim, conteúdo, seja ele qual for (pode ser um texto no seu site, um e-mail pra sua lista, um post no Instagram) só tem sentido se comunica com verdade e expressa quem você é. Conteúdo tem cara, tem jeito e tem linguagem, mas não tem padrão. Porque o tom é você que dá, a linguagem é a sua.

Um dos meus trabalhos na Little não é só produzir conteúdo, mas ajudar meus clientes a comunicarem suas verdades, a construírem um posicionamento autêntico, que seja a extensão de quem eles são. Eles compartilham com o mundo suas verdades, suas bandeiras, suas visões.

Mas acontece que, de um tempo pra cá, tem muito cliente nosso sofrendo com plágio 😕 Isso é muito triste! Um bom trabalho de posicionamento significa ocupar um espaço, divulgar de forma clara e consistente algo que você é, faz ou acredita. E confie em mim: existe espaço para todo mundo, desde que seu trabalho seja sério, honesto e verdadeiro. Não há porque copiar um conteúdo, há capacidade de produzir. Eu realmente acredito que um mundo melhor se faz através do ensino. Por isso, resolvi fazer um texto com dicas pra quem quer ter um conteúdo autêntico. Espero que essas dicas te ajudem a colocar a mão na massa e produzir algo pra chamar de seu 🖤

 

Como produzir um conteúdo autêntico

  • A gente só é capaz de escrever sobre algo que dominamos. Se você trava quando senta pra escrever sobre algo, significa que você precisa estudar mais sobre aquele assunto.
  • Fontes devem ser usadas para construção de referências, mas um conteúdo autêntico também leva em consideração a sua opinião. Ou seja, reúna ideias que você acredita e escreva o seu ponto de vista a partir disso. Assim, você cria o seu conteúdo.
  • Tente sentar e colocar no papel um texto corrido sobre sua opinião com relação a um tema e o que você sabe. Exemplo: no meu caso, seria marketing digital. Depois, divida esse conteúdo em pequenos blocos, você vai perceber que tem uma série de conteúdos sobre um tema específico ali. Essa ideia pode ser abordada de várias e várias formas.
  • Não tenha uma única fonte como ponto de partida, tenha várias. O hábito de ler, estudar e pesquisar é crucial para quem faz seu próprio conteúdo.
  • Escreva como se você estivesse dando uma aula, contando uma história. Seja didático, enriqueça seu conteúdo com detalhes.
  • Encontre seu tom. Seu texto lido precisa ter a mesma expressão de uma conversa. Ou seja, é como se você estivesse falando com uma pessoa. Quais as suas expressões, como é você no dia a dia? Isso também deve ser refletido no que você escreve e comunica. Seu texto tem que ter o seu jeitinho.
  • Cite fontes sempre que necessário. Gostou de uma frase de fulano, coloque o nome dele. Curtiu algo que cicrano comentou, cite ele. Citar fontes mostra o quanto você pesquisa e agrega valor para o que você faz.
  • Tente contar para as pessoas como você faz as coisas que faz. Ou quais as caraterísticas do seu produto (se for o caso), o que torna ele especial ou o que torna você especial.
  • Compartilhar frustrações, medos e decepções também pode ser interessante se você sentir que seu público está aberto pra isso. Mas cada caso é um caso. No caso da Little, isso seria possível porque compartilhamos sobre nós (pessoas que estão por trás da marca), mas isso seria estranho se, por acaso, eu tivesse uma sorveteria.
  • O seu conteúdo deve existir para ajudar quem está do outro lado da tela. Seja inspirando pessoas, fornecendo informações relevantes sobre sua área, ensinando…
  • Coloque sentimento, intensidade no que você escreve, e expresse suas ideias (até aquelas que você considera meio doida, rs). Isso é buscar lá no fundinho como você enxerga as coisas.
  • Como você pode usar suas experiências pessoais para ajudar seu negócio?
  • Na comunicação, usamos muito uma estratégia chamada ‘Storytelling’. Que nada mais é do que a arte de contar histórias. É algo bem antigo. Afinal, nós vivemos de histórias, elas sempre foram a forma mais eficaz para se comunicar. É uma estratégia muito usada porque é um modo de fazer com que os clientes reparem no seu negócio.

Todo negócio tem uma história!

Não sabe como começar a contar a sua história? Comece respondendo as perguntas a seguir: O que te inspira? Por que você vende o que você vende? Por que você faz o que você faz? É isso que as pessoas querem saber! E não só o que você vende, entende? Sua história pode inspirar pessoas, acredite.

Você pode:

  • Explorar momentos da sua vida pessoal que estão relacionados ao seu negócio.
  • Falar do seu objetivo de forma mais ampla e o que você pretende.
  • E, ah, super válido: histórias de negócios podem misturar experiências pessoais com o propósito do seu negócio. As pessoas podem se identificar com você, sua vida e seus desafios.

Lembre-se também ao produzir conteúdo:

  • Seja honesto. Marketing não é uma mentira. Nada se sustenta com mentiras.
  • Antes de começar a criar o conteúdo, identifique seu público! Isso vai te ajudar a transmitir a mensagem certa.
  • Pesquise: o que seu público quer saber, o que pode ser realmente bacana divulgar.
  • Pense nos seus diferenciais quando for criar seu conteúdo. Qual a sua identidade? Qual a sua linguagem?
  • Teste formas de conteúdo e faça com o que você tem na mão. Ninguém começa fazendo o melhor vídeo do mundo. A gente tem que começar com os recursos que a gente tem.

Aqui, é assim!

Não vou negar, produzir conteúdo, pra mim, é como pedalar de bicicleta num lindo dia de sol, eu sempre estou disposta. Mas tem algumas coisas que faço para otimizar esse processo. Só produzo conteúdo pra Little nos dias em que estou bem. Me sentindo bem e em paz. Nunca escrevo no dia em que estou triste ou desanimada com algo. Texto é igual comida, o sentimento que temos no momento em que fazemos passa facilmente.

Eu gosto de estar sozinha e em silêncio para produzir meu conteúdo.
Sempre falo de assuntos que andei refletindo recentemente (tipo esse).
Vou escrevendo diversos textos. Depois, organizo o que fica e o que sai.

Abordo o mesmo tema diversas vezes, mas com focos diferentes.
Escuto muito o meu público e hoje sei das suas necessidades. Escrevo sobre o que vejo que as pessoas querem saber. Mas também falo sobre o que acho que as pessoas precisam saber.

Eu não tenho medo de críticas e julgamentos. Porque essa é a minha opinião sobre algo. Se tem alguém que não concorda, tá tudo bem. Cada um segue o que acredita ser melhor. Não me sinto intimidada em falar de algo só porque podem pensar isso ou aquilo. A partir do momento em que você sustenta o que está dizendo, não tem porque ter medo de colocar no mundo.

Escrevo muito pautada no que estudo, nas experiências do dia a dia e no que observo.

Às vezes, tô na rua e vem uma super ideia de conteúdo. Ou tô vendo um documentário, tô numa palestra… Enfim, se eu tô com papel e caneta, já escrevo, mas tenho uma dica que funciona muito bem pra mim, rs: costumo me enviar áudios pelo WhatsApp com minhas opiniões sobre insights que podem virar conteúdo. Depois, é só transcrever, rs. Dessa forma, nunca perco um conteúdo de vista.

Tento compartilhar minhas experiências com vocês e quem segue a Little sabe disso. Conto muito da minha jornada, dos erros e acertos, das experiências do dia a dia.

Se dá certo? Vem dando desde 2015 🖤

Gostou das dicas? Me conta (:

Quer receber um material bacana e que realmente te ajude na geração de conteúdo nas redes sociais?

Cadastre seu e-mail {e óh, fica tranquilo, a gente só manda o que gostaria de receber também. Respeitamos o seu espaço}.