>> Tipos de pessoas

Dia desses, li algo assim do @tiagomatos: existem 5 tipos de pessoas, as que fazem, as que ajudam as que fazem, as que vivem em cima do muro, as que reclamam e as que estão secretamente torcendo pelo seu insucesso. Esteja próximo dos dois primeiros. Em todas as esferas. Tanto na questão de pensar bem em quais as pessoas que vão trabalhar contigo, quanto nas parcerias e nas demais relações de trabalho. Construa sua jornada com pessoas que são sinceras e torcem por você. O mundo já é complexo demais para manter por perto quem fica em cima do muro, quem só reclama ou quem não torce verdadeiramente por suas conquistas.

>> Escute o coração mesmo

Ele fala com você direto e sua intuição sempre te aponta caminhos. Por isso, ter tempo para refletir sobre você e seu negócio é uma atividade que deve ser diária. Separe na sua rotina uns 30 minutos pra isso todo dia.

Existe uma sensação de estar no caminho certo. Da mesma forma, que existe a sensação de fazer algo que não vai agregar em nada. Isso aconteceu comigo duas vezes ao longo do último ano. Vou explicar melhor para que você entenda. Aqui na Little, nosso perfil de público é bem definido. Sabemos quem valoriza e entende o nosso trabalho. Depois de algum tempo, isso vai ficando ainda mais claro em qualquer negócio: avalie quem é sua persona, quem é seu público-alvo, quem compra de você e aprecia o que você faz. Há muitas conexões entre os clientes, pode acreditar!
Mesmo sabendo exatamente com quem queremos trabalhar, por duas vezes ao longo do ano passado me deparei com clientes que queriam trabalhar com a gente, mas que não tinham o perfil do nosso avatar. No fundo, nos sabíamos que poderia ser complicado fazer esses trabalhos. Mas não ouvimos essa intuição e encaramos. Nos dois casos a experiência não foi tão boa, para ambos os lados. E com isso, fechamos 2018 entendendo que, se sentimos que não vai rolar fazer algo, não devemos fazer, se sentimos que aquela parceria não vai ser boa, não devemos fazer. É preciso ter confiança e, quando ela surge, você sente. Mas se ficar na dúvida, repense. Isso também está relacionado com o planejamento do seu negócio. No fundo você sabe que caminho deve seguir para fazer acontecer e alcançar suas metas. Todas as respostas que você precisa estão sempre do lado de dentro.

> É fundamental admitir que você não da conta sozinho

Quando o negócio é pequeno e você é EUempreendedor, vai sim ter que fazer um pouco de tudo. E olha, isso te ensina muito, viu? Mas para o negócio crescer, você precisa ter uma gestão de tempo muito eficiente e isso significa dedicar o seu tempo no que você realmente faz bem. Acho que todo mundo sonha em “crescer”, mas a verdade é que isso é um processo difícil porque implica em não centralizar e desapegar. A gente precisa sim “desapegar” do nosso negócio no sentido de entender que ele não é “nosso”, mas uma empresa que tem vida própria. É aquela história de – estou criando meus filhos para o mundo e não pra mim -.
Ai entra outra questão, escolher uma equipe que quer entrar fazer parte daquela ideia tanto quanto você. Saiba escolher bem as pessoas que vão entrar no seu negócio porque elas vão fazer parte do seu dia a dia, da sua rotina e da sua vida.

> Finanças, finanças e finanças

Acho que é o calcanhar de Aquiles de qualquer pessoa que não tem o pé em exatas. Já bati muita cabeça aqui. Mas já aprendi um cadinho nos últimos 3 anos. Porém, se eu puder te dar um conselho: busque ajuda assim que possível. Faca uma consultoria financeira, tente entender o seu negócio como uma pessoa jurídica e lembre-se que você precisa aprender o quanto vale o seu trabalho. Um erro muito comum é não saber precificar. Por falta de conhecimento, acabamos desvalorizando a nossa própria hora. Seu preço precisa sim ser justo, mas pra isso, você tem que saber o quanto vale a sua hora, o quanto vale o que você entrega. Será que você sabe? Além disso, a saúde financeira da empresa é o coração de qualquer empreendimento. Se as contas não fecham, nada vai durar muito. É preciso disciplina, estudo e ajuda nessa parte. Há varias pessoas que fazem consultorias e há muito conteúdo na internet de boa qualidade. Dá pra começar lendo esses textos aqui.

> Aprenda a falar sobre dinheiro, prazos e tenha contratos

Esse era meu maior problema. Eu sempre fiquei próxima dos clientes e tinha uma certa dificuldade em falar de preços, prazos e contratos. O primeiro ano foi bem complicado nessa parte. Mas o seu negócio é acima de tudo um negócio. E a comunicação com o cliente deve ser clara. Tem hora pra rir, tem hora pra falar de trabalho e tem hora pra falar de valores, tem hora pra cobrar se for preciso. E isso não deve ser encarado como um problema. Ao contrário, não é um problema ser remunerado pelo serviço que você coloca no mundo. O erro é que nos temos uma visão negativa dessa parte e por isso nos limitamos. Isso tem que mudar. A mesma coisa com os prazos. Seu cliente precisa saber que o prazo é x e não y. Tenha tudo documentado, de preferencia, via e-mail também. Todo mundo quer as coisas “agora”, mas a não ser que seu negócio seja uma pastelaria, você precisa de um prazo pra fazer bem feito e isso tem que ser respeitado.
Por fim, invista em contratos! Você pode estar prestando serviço para o seu melhor amigo, mas tudo tem que ter contrato assinado e organizado. Lembre-se, você faz parte de uma empresa e, enquanto não encarar a sua empresa como tal, a coisa não flui. Independente do tamanho que ela seja, independente de ser só você. São as suas atitudes, desde o começo, que vão mostrar para os seus clientes que há um negócio real e que as coisas são feitas da forma correta.

E você, o que gostaria de saber antes de ter começado a empreender? Conta pra mim <3

Quer receber um material bacana e que realmente te ajude na geração de conteúdo nas redes sociais?

Cadastre seu e-mail {e óh, fica tranquilo, a gente só manda o que gostaria de receber também. Respeitamos o seu espaço}.