A história de hoje é de uma mulher que, pra mim, é mais um presente, daqueles que vêm em caixas bem fofinhas e que a gente quer guardar pra sempre. A Gabriela Brasil, organizadora digital porreta pra caramba, cruzou meu caminho quando virou minha cliente. Bem, vocês sabem que meus clientes acabam virando amigos porque só trabalho com quem me identifico.

Mas com ela foi além. Eu aprendi tanto, mas tanto com a Gabi que ela virou um exemplo real na minha vida. Foi com ela que entendi literalmente o que é minimalismo, o porquê de ter uma rotina, o porquê de me organizar mais. Foi ela que me ensinou e ensina que o conceito de trabalho está mesmo mudando.

E ela está aqui nesta série porque muda o meu e o mundo de muita gente. A Gabi mora nos Estados Unidos, é uma super empreendedora da área de organização e vem ao Brasil algumas vezes durante o ano. Mas o que ela tem de tão especial? O olhar dela pro mundo é diferenciado. Ela te mostra caminhos que você não imagina, ela deixa nossa vida mais leve. Ela realmente tem um talento absurdo no que faz. Mas não é só isso, a Gabi não me inspira só no lado profissional, no lado empreendedor. Mas em como ela vive! Leia abaixo e me diga se você não acha que ela é, no mínimo, fantástica


.: Organizada, antenada, vegana, equilibrada, empreendedora e multipotencial… Conta um pouco de você pra noix!
Sou trintona, aquariana, apaixonada por histórias e pelo caminho traçado para que elas aconteçam. Já mudei de carreira três vezes e, hoje, atuo como consultora de organização e produtividade, ajudando outras pessoas a se organizarem para aproveitarem o seu tempo com o que é mais importante em suas vidas. Faço isso através de conteúdo na Web, treinamentos e consultorias individuais e empresariais.

Minha missão está diretamente relacionada à organização, pois é um desafio de vida pra mim também. Meu trabalho é então uma espécie de laboratório de descoberta, uma porta de autoconhecimento onde aprendo com clientes e alunos sobre suas histórias, enquanto passo a eles o que também já aprendi. É uma construção muito rica e que me traz muita satisfação e crescimento diariamente.

Medito e escuto. Porque em meio à loucura do mundo, me faz bem parar para ouvir.  Sou prática, disciplinada. Gosto de profundidade, de paixão, de comida quente, de honestidade. Sou viciada em documentários e escuto música eletrônica no volume máximo. Não como cebola, falo rápido e tomo mais banho de sol do que de mar.


.: Você mudou de área, de profissão, de país… Deu medo? Como lidou com ele?
Não tenho medo de mudança. Tenho medo de não mudar. Acho que mudança é a coisa mais natural que a gente tem na vida. Estamos o tempo todo mudando e quando não respondemos a esse sinal, algo trava na vida e aí vem doença, mágoa, estresse. Mudei de carreira, de área, de país. Isso tudo porque a mudança me chamou para próxima fase da vida. Em todos os momentos, bateu dúvida sobre o que fazer, claro! Insegurança sobre o que me esperava e, por vezes, me questionei se conseguiria lidar com todas as novidades. Dá um frio na barriga sim. Mas onde tem medo tem coragem e, nos últimos anos, com tantas idas e vindas, aprendi a focar mais na coragem do que no medo.

Terapias me ajudaram muito porque através delas fui me conhecendo mais. Conversar e me abrir me ajuda a me ouvir e quando escuto meus próprios planos e percebo sentido neles, me sinto mais aliviada e confiante. Acho que todo mundo quando está em algum processo de mudança precisa se abrir com alguém e expor suas dúvidas e medos. É uma forma de refletir sobre o processo e encontrar coragem. 


.: Qual o segredo para construir uma carreira sólida e uma marca em que as pessoas realmente enxergam valor? {Você conseguiu }
Acordar todo dia e fazer um pouco melhor do que fiz ontem sempre foi uma política pessoal. Seja um e-mail melhor, uma imagem mais bonita para a rede social e até mesmo uma proposta que expresse mais o meu valor, tudo isso faz diferença. Acho que o importante mesmo é se colocar em movimento, imperfeito, onde se está, com o que se tem. Compreendendo que o negócio é sim parte da sua vida, mas não a sua vida. E que pra construir uma marca de valor pro mundo, você precisa enxergar e valorizar você primeiro.

Todos os dias ao acordar, eu digo ao Universo: permita-se que nas próximas horas eu possa dar o melhor de mim, enxergando tudo sempre com olhos de gratidão. A gratidão é o segredo.


.: O que te traz mais felicidade no seu trabalho?
Ver pessoas aprendendo a valorizar o seu tempo, compreender o que traz verdadeira felicidade, encontrar o essencial. Não tem recompensa melhor do que receber uma mensagem de um cliente ou um aluno dizendo: “Hoje, tenho tempo pra ficar com meu filho mais um pouco”, “consegui entender o que é prioridade no meu trabalho” ou “meu celular me ajuda e não me traz mais estresse”. É gostoso demais ajudar as pessoas a colocarem os seus objetivos para acontecer


.: Quando você descobriu que ajudar as pessoas a se organizarem digitalmente era uma das suas paixões?
Quando estava fazendo minha certificação para me tornar organizadora profissional, eu era uma daquelas alunas que sempre apontava uma solução digital para os problemas. Aquela da turma que levantava a mão toda hora com uma dica de App! Ainda na aula, tracei meu plano de negócios. Eu já era apaixonada por tecnologia, por que não unir a organização a ela e fazer disso a minha praia? Foi quando eu descobri que ajudar as pessoas a se organizarem digitalmente era não apenas uma paixão (porque eu já fazia isso de graça), mas também uma possibilidade de transformar minha carreira e me destacar. Segui minha intuição e não é que deu certo? Ufa!


.: Por que você faz o que você faz? {Queremos saber as motivações que te fazem levantar dia a dia}
Eu faço o que faço porque escolhi esse estilo de vida. Escolhi ajudar as pessoas com minha habilidade. Escolhi aprender mais sobre esse assunto para crescer e ajudar as pessoas a crescerem comigo. Faço o que faço porque acredito no poder da organização para transformar vidas e se nasci com essa habilidade, minha missão é passar esse conhecimento pra frente.

Daqui desse mundo, não levamos nada. Daqui desse mundo, não preciso levar nada. Mas quero fazer diferença na vida daqueles que conheço. E, nesse mundo, deixar minha história e minha contribuição.

.: Qual erro te ensinou a maior lição {que você pode compartilhar com a gente}?
Tive muito medo de me expor e abrir o meu coração durante muito tempo. Na vida pessoal e nos negócios. Segui fórmulas que não combinavam com minha mensagem ou, ainda, com os valores pessoais e valores da empresa. Tentei me colocar em uma forminha porque me diziam que funcionava. Desse jeito afetivo que você quer, Gabriela, não vai vender. Desse jeito que você é, Gabriela, ninguém vai aguentar ou aceitar você. E eu acreditei.

Dane-se. Abra o coração. Fale o que se passa aí dentro. Faça o que sua intuição diz, e se ela errar, aprenda com ela. É preciso muita força para ser. Mas como diria Leminski, essa história de querer ser exatamente quem a gente é ainda vai nos levar além!


.: 3 coisas que fazem de você uma mulher do futuro.
Ui! Que pergunta difícil. Me acho uma mulher do futuro porque:
>> Penso com carinho nele, planejando o que espero realizar para minha vida e da minha família a curto, médio e longo prazo. E fazendo isso, posso não apenas entender o que o futuro reserva, mas posso viver a cada dia no presente, fazendo hoje o que me trará satisfação nos meus dias e memórias positivas no futuro.

>> Busco entender e tirar o máximo de proveito desse mundo digital frenético, entendendo o que é essencial da tecnologia e aprimorando minhas habilidades interpessoais e intrapessoais, pois acredito que Inteligência Emocional é Habilidade do Futuro.

>> Busco viver de acordo com o que me traz alegria. Sem amarras, sem preconceitos, sem julgamentos. Livre. Muito era de aquário. Afinal, num é pra lá que estamos caminhando?


.: Uma grande lição que fez de você a mulher que é hoje {que você aprendeu e pode compartilhar}.
Quando perdi minha melhor amiga e tive depressão, eu quis acabar com tudo que havia na minha vida, inclusive o respiro que eu tinha. Tudo que consegui superar, desde aquele momento até hoje, foi porque pedi ajuda.

Para uma pessoa orgulhosa e cheia das verdades, não foi um processo fácil. Mas fui aprendendo com o outro a me conhecer mais e melhor. Terapia, consultoria, delegação, tudo isso me permitiu entender o que era melhor para mim. Por isso mesmo, quando dói o suficiente, ou mesmo quando dói só um pouquinho, não sofro mais sozinha, não preciso disso, peço ajuda.


.: Que conselho você dá para a mulher que está te lendo e quer ter uma vida com mais propósito e felicidade {mas que, por algum motivo, não sabe como fazer isso}?
Eu acho que nós mulheres temos muitas frentes para dar conta e nem sempre um ambiente favorável para nos sentirmos bem conosco. Por isso mesmo, acho que o mergulho no autoconhecimento é fundamental. Não se cobre, não se compare, não se julgue. Estamos todas no mesmo barco. Busque se conhecer e amar mesmo as suas sombras. Vá atrás de práticas que te possibilitem conectar com você mesma. Escolha onde você vai dedicar o seu tempo. E, claro, se conecte a outras mulheres e grupos que estejam passando pelo mesmo momento que você. É importante conviver com pessoas que respiram o mesmo desejo. Mulheres que alimentam os sonhos umas das outras.


.: Como você deixa sua marca no mundo {e de quebra deixa ele melhor}?
Criando e compartilhando conhecimento e experiências. O que aprendo não vai embora comigo, ele vai pro mundo. E se cada pessoa espalha um pouco a mensagem, vamos juntos construindo um mundo mais cheio de propósito, essência e organização. Não é maravilhoso?


.: Gabi, não dá pra finalizar sem te pedir uma dica de organização {da vida}, né? Conta algo que pode ajudar quem está lendo {e não é nada organizado} a conseguir estruturar melhor os planos, ideias, planejamentos…
Tire as ideias da cabeça e volte a elas com frequência. Sua cabeça não foi feita para armazenar tarefas do dia, listas de compras ou check-lists para o trabalho. Sua cabeça foi feita para criar coisas novas, se emocionar, guardar memórias de vida.

Use um caderninho ou um aplicativo que te permita anotar tudo que chega pra você ao longo do dia. Ao final do seu dia, olhe as anotações desse caderno e processe dando um lugar para cada coisa. É compromisso? Vai pro calendário. É tarefa? Vai para lista certa. É projeto? Vale detalhar cada passo. É ideia? Vou guardar no Evernote. E por aí vai. Com o tempo, esse processamento vai te trazer mais tranquilidade e clareza sobre o que você faz no dia a dia, permitindo novos acordos e melhores decisões.

Aqui, tem um vídeo que explica direitinho esse processo da Jornada de Organização:

Organização pode se tornar um hábito se você se comprometer com esse processo. Que tal começar hoje mesmo?

Reflexões que tirei dessa entrevista:
>> Você pode mudar de carreira quantas vezes quiser. Você pode fazer o que quiser. O que você não pode é deixar de viver aquilo que você quer viver.

>> Dê o seu melhor todos os dias

>> Encontre o essencial. O que você de fato precisa? O que realmente te faz feliz?

>> Faça o que você sente que tem que fazer e não o que as pessoas querem que você faça. Escute o seu coração, ele conversa com você o tempo todo.

Este texto faz parte da série “Mulheres do Futuro”. O objetivo dessas entrevistas é contar a história de mulheres incríveis, que trabalham com coisas completamente diferentes, que possuem um senso de mudança arrebatador. Mulheres que desejo ver cada vez mais num futuro bem próximo. A cada semana, vou contar a história de uma delas e, espero de coração, que elas também possam te inspirar a correr atrás dos seus sonhos.

Todas as entrevistas serão em formato ping-pong (pergunta e resposta). As perguntas são bem parecidas para quase todas. E a ideia é essa mesmo, observar a perspectiva de resposta de cada uma de acordo com o seu mundo.

Quer receber um material bacana e que realmente te ajude na geração de conteúdo nas redes sociais?

Cadastre seu e-mail {e óh, fica tranquilo, a gente só manda o que gostaria de receber também. Respeitamos o seu espaço}.