Se você nunca pensou nisso, tente responder essa pergunta: por que sua marca existe? Isso tem que ficar claro na sua cabeça. Só que, antes de achar um propósito de vida/negócio {porque está tudo junto e misturado}, você precisa saber que fazer algo que goste é crucial! Nossa geração é bem diferente da dos nossos pais. Claro que a gente quer estabilidade, mas não queremos passar 50 anos em um emprego que não gostamos para alcançar isso. Hoje, realização e experiência contam muito mais que um bom salário.

Mas é preciso colocar esse propósito em prática de alguma forma e, uma delas, é através do conteúdo que você gera. Muitas marcas vivem de discurso e isso é muito triste. Sabe aquele ‘missão’, ‘visão’ e ‘valores’ que você se depara em alguns locais. Quem coloca realmente em prática?

Eu, particularmente, não montei minha missão, minha visão e meus valores. Pra mim, basta ter um propósito claro e vivenciar isso de alguma forma.

Se você tem um propósito claro, você:
Se conecta com pessoas interessadas no mesmo que você.
Consegue pensar melhor no seu conteúdo porque já sabe qual o foco será trabalhado.
Agrega valor aos seus produtos e serviços e isso é um grande diferencial.
Gera muito boca a boca, pode acreditar =)

Pare e tente responder: Porque meu negócio existe? Como ele melhora a vida das pessoas? A resposta disso é o seu propósito

BOCA A BOCA

Se você tem um propósito claro, evidente e busca entregar um serviço/produto com um jeitinho especial {só seu}, acontece algo inevitável: o boca a boca.
Preciso te contar que o boca a boca continua sendo a ferramenta mais incrível de comunicação do universo. É free, gera muitos resultados e fideliza clientes. E, pode apostar, o caminho pra conseguir um bom boca a boca é um só: cultivar uma boa cultura de atendimento e qualidade no que você faz e entrega pro mundo. Se isso for bom e estiver alinhado com o seu propósito, não tem como não dar certo!

Recentemente, fui tomar um café com uma empreendedora porreta, a Gabriela Brasil. A Gabi trabalha com cursos voltados para a organização digital. É lindo vê-la falar sobre o propósito dela, que é ajudar as pessoas a organizarem não só ‘coisas’, mas a vida! A Gabi usa muito a internet pra divulgar os cursos dela, mas me disse que muitos dos clientes vieram do boca a boca. E isso ainda funciona pra muita gente!

O boca a boca me ajudou muito, muito mesmo {na verdade, ajuda}. Quando comecei a trabalhar com a Little, em 2015, eu ainda trabalhava em um emprego formal. Não passava pela minha cabeça empreender. A Little era um projeto paralelo na minha vida e foi ganhando corpo porque cada projeto que eu entregava, gerava mais projetos. Isso porque o cliente comentava com outro cliente e isso foi criando uma rede. Quando me dei conta, mesmo sem divulgar nada do que eu fazia, a Little já existia e sobrevivia.

MAS COMO ESTIMULAR UM BOCA A BOCA?

A primeira coisa é saber o que você faz e como você faz. Isso quer dizer que você não tem que ser mais um no mercado. Tem que ter algo só seu, que te torne diferente e único. No meu caso, é o jeito de fazer as coisas: eu envolvo o cliente do começo ao fim do projeto.

Outro ponto crucial: empatia! Eu realmente faço questão que meus clientes se sintam especiais. Todos acabam virando amigos, porque uma das minhas filosofias é trabalhar só em projetos em que acredito e, dessa forma, sempre rola afinidade Não tem jeito 😉 acabo me apegando a eles. Com todos, tento praticar uma comunicação baseada em honestidade, carinho e clareza. São três palavrinhas que carrego sempre comigo.

MAS POR QUE ESSAS 3 PALAVRAS?

Honestidade: eu não prometo nada além do que posso fazer. Não crio uma falsa expectativa. Tento explicar o meu serviço como ele realmente é. Cada passo do processo. Nem preciso dizer que isso é fundamental pra qualquer negócio. Mas muita gente se esquece de que o cliente não sabe como você faz o que você faz. Explicar pra ele todo o caminho que você percorre até chegar no objetivo X faz muita diferença. E, olha, digo isso pra qualquer coisa mesmo, seja a mais simples que for. Esses dias, fui almoçar num local lá na Paulista chamado Club Life To Go, super bacana e com uma pegada diferente, focado em healthy fresh food (alimentos saudáveis). Lá, você entra, pega um cestinho (igual o de supermercado) e vai colocando as coisas que quer. Depois, escolhe se vai comer no local ou levar pra casa (tudo já vem embalado pra viagem). Quando entrei, o atendente disse: “você conhece nosso processo, como funciona o Club Life?”, ele fez questão de me contar como tudo é feito. Valorizou os pontos positivos “comida de verdade”, “fresca”, com “ingredientes orgânicos”. Me fez entender, em 2 minutos, todo o conceito da marca. Contou tudo? Não, mas contou o que eu precisava saber para entender como funciona o processo lá dentro. Você pode aplicar isso no seu dia a dia. Explique o seu processo de trabalho, valorize seus diferenciais, faça o cliente entender porque vale a pena trabalhar com você. Mas seja honesto, não invente o que não existe.

Carinho: tenho uma comunicação bem carinhosa com quem trabalha comigo porque gosto de ser tratada assim. Dê atenção, explique, converse, escute. Escutar é a parte mais importante em todo o processo. Olhe no olho, tente entender suas necessidades. Nem sempre você vai concordar com as opiniões dele, mas não é tentando impor o que você pensa que as coisas vão se resolver.

Clareza: a relação com o cliente, por + afinidade que se tenha, é delicada, principalmente, se vira amizade. Por isso, é importante ter clareza para deixar tudo alinhado e organizado. Um ponto em que os empreendedores possuem muita dificuldade é na hora de cobrar, falar de valores. Se esse é seu caso, você precisa enfrentar esse dilema. Eu já passei por isso. Detestava chegar nessa parte. Até que entendi que não tem problema nenhum ser remunerada pelo que eu faço. Nada mais justo, já que eu presto um serviço. Às vezes, é difícil entrar nessa parte da conversa, mas é importante. Explique o porquê dos seus valores, como funcionam as formas de pagamento e, sempre, sempre, sempre, faça um contrato ou tenha esse ‘acordo’ registrado, mesmo que por e-mail.

EM UM MUNDO COM PROPÓSITO, NÃO EXISTE CONCORRÊNCIA

Não acredito em concorrência. E, se você acredita, por favor, tente ver as coisas assim: Cada pessoa atrai um público, cada pessoa é única no mundo, cada empresa também. O que você faz só você faz, porque você é você. Quem se conectar com você é porque procura algo que você pode entregar. Lembre-se que seu propósito diz quem você é, o que você quer e aonde quer chegar. É o seu propósito que define, por exemplo, seu planejamento, o caminho que você vai percorrer. Tenha ele claro na sua mente, na sua vida e no seu O seu propósito será sempre seu discurso, mas ele só tem sentido se for colocado em prática =]

Me conte qual seu propósito de vida 😉 vou amar saber!

PS: se gostou do texto, me ajude a compartilhar =)

Beijo no core

Quer receber um material bacana e que realmente te ajude na geração de conteúdo nas redes sociais?

Cadastre seu e-mail {e óh, fica tranquilo, a gente só manda o que gostaria de receber também. Respeitamos o seu espaço}.